Gestão emocional no ambiente organizacional: aprenda e aplique!

Imagem para conteúdo sobre gestão emocional

Possuir cada vez mais consciência sobre o significado de gestão e inteligência emocional, assim como desenvolvê-las em diferentes contextos da vida como no ambiente de trabalho por exemplo, pode ser considerado hoje um dos maiores conceitos responsáveis pelo sucesso dos indivíduos.

Atualmente, convivemos com um vírus a nível global que envolve todo um processo de crise emocional em diversos âmbitos da vida humana. Esse é um dos exemplos factuais que demonstram a importância e o quão exigido é e será dos indivíduos conhecer mais sobre gestão emocional.

O processo de gerir emoções se mostrou um dos pontos chaves para a cultura organizacional das empresas, uma vez que a maioria das experiências vividas no local de trabalho demandam habilidades de relacionamento, comunicação e compreensão humana. 


Mas afinal, o que é gestão emocional?

A gestão da emoção trata-se da capacidade que um indivíduo possui de observar, avaliar, controlar e expressar seus próprios sentimentos. Tem relação com o autoconhecimento, o autocontrole e assegura a construção de relacionamentos mais positivos e saudáveis.

Geralmente, as pessoas que gerenciam as emoções costumam ser menos reativos e mais empáticos, saber lidar melhor com as situações de conflito, além disso, são mais eficiência ao passar informações e são melhor compreendidos. 

 

A importância da gestão emocional nas organizações

Por mais que não seja simples possuir o controle dos sentimentos em todos os ambientes, é fundamental ter a consciência de que essa é uma tarefa primordial principalmente para aqueles que ocupam cargos de liderança nas organizações.

Tendo em vista que as emoções do líder refletem em todos ao seu redor, é essencial que o gestor tenha consciência da sua responsabilidade com a gestão emocional e pense ativamente como suas ações vão repercutir nas emoções de seus funcionários.

O gestor é o responsável indireto pela saúde mental dos colaboradores. Neste cenário de pandemia tal qual vivemos, será ele que transmitirá segurança para os demais colaboradores de sua equipe, bem como garantirá condições mínimas de saúde e de prevenção à contaminação do vírus.

 

“Agilidade emocional é interagir com as emoções com curiosidade, aceitação e coragem para tomar decisões com base no que eu valorizo.”   –   Susan David

 

 

Como pôr em prática a gestão emocional nas empresas?

A fase mais crítica da pandemia passou e já vislumbramos um cenário mais positivo no futuro, tendo em vista a possibilidade da vacina. Porém, enquanto esse momento não chega, se faz indispensável delimitar estratégias para manter a saúde emocional da nossa equipe. 

Para gerir este processo de maneira mais efetiva, é essencial ficar atento aos feedbacks, pesquisas de clima organizacional ou Pesquisas NPS.


1. Analise as necessidades da sua equipe

Um dos pontos de partida para praticar a gestão emocional da empresa, consiste em analisar cada setor e suas necessidades individualmente, assim como customizar a gestão de pessoas.

Considerando as necessidades dos seus colaboradores, neste momento também é indicado ter empatia com os mesmos, no sentido de compreender o contexto individual e adaptar as demandas para o coletivo.  

 

2. Seja flexível com as metas

Flexibilizar as metas individuais e coletivas da sua organização pode ser o segundo grande passo para praticar a gestão emocional no local onde você trabalha. Se você ainda estiver lendo esse artigo durante a pandemia, certamente deve ter noção de que os resultados financeiros não serão os mesmos de quando a economia estava em alta com grande produtividade. Com isso, se faz necessário restabelecer as bases e adaptar-se ao novo contexto mundial. 

 

3. Aposte nas conexões

Promover espaços para a socialização e integração dos trabalhadores de uma organização, é comprovadamente uma ação muito benéfica para a saúde mental e emocional de qualquer equipe.

Ainda que estejamos convivendo com o afastamento social  neste momento, é necessário apostar na conexão entre os colaboradores de outras maneiras. Para isso,  pode-se contar atualmente com a evolução tecnológica que temos ao nosso favor, como as ferramentas de videoconferência como é o caso da Zoom ou o Google Meet, aproximando mais as relações humanas entre seus funcionários.


4. Seja transparente

Ser transparência nos processos envolve deixar esclarecido para as diferentes partes que colaboram com a empresa, qual é exatamente o seu papel e para onde a empresa como um todo está caminhando. 

Isso demonstra uma cultura organizacional sólida, assim como também estabiliza e restaura a segurança dos colaboradores na organização, proporcionando assim uma gestão mais assertiva e em sintonia com as necessidades da empresa junto a uma equipe mais equilibrada e resiliente. 

 

Gestão emocional em momentos de crise

Um artigo produzido pela Endeavor sobre gestão emocional em momentos de crise, cita alguns passos para lidar e desenvolver esse tipo de gestão, confira algumas dicas por onde você pode começar:

 

  • Gestão de pessoas por Sprint com alinhamentos semanais 

O Sprint é uma técnica de gestão que delimita pequenas tarefas para chegar a um objetivo final em comum. Neste caso as reuniões semanais serão para checagem do que faz sentido para a equipe, o que deu ou não certo para o desenvolvimento do trabalho e o que pode ser melhorado. 

 

  • Defina os conceitos-base e compartilhe com os líderes 

Cada gestor tem seu perfil de liderança, porém nesse momento singular de nossa história é preciso adaptar-se e estar ciente de conceitos como: vulnerabilidade, inteligência emocional, conversas difíceis e sensíveis, saúde mental, otimismo, acessibilidade, comunicação assertiva e comunicação não violenta.

 

  • Empatia e Consciência

O líder terá que conhecer e praticar a escuta ativa, o questionamento curioso, ou seja, aprender a perguntar coisas que realmente façam o outro se abrir e dividir suas reais angústias. 

Terá que aprender a ter conversas mais abertas para poder tranquilizar seus colaboradores e ajudá-los a passar por momentos de crise de uma forma mais saudável.  

 

  • Mantenha-se em contato 

Sabemos que como gestor e líder, existem inúmeras responsabilidades que esses cargos exigem no dia a dia. Entretanto, um dos papéis essenciais, é propiciar aos seus colaboradores um ambiente de acolhimento psicológico, em que eles possam se abrir com você sem ser repreendido, mas sim orientado. 

 

 

Ao seguir esses passos, acreditamos que você terá sucesso na estruturação de uma gestão com inteligência emocional, garantindo a produtividade e saúde dos colaboradores por muito mais tempo. 

E aí, como está a sua gestão emocional? E seus colaboradores, já perguntaram como estão se sentindo hoje?

 

 

Equipe Como contratar um Estagiário 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *